Coisas inusitadas...

sábado, 7 de junho de 2008

As duas últimas semanas foram muito, muito corridas e nosso pobre blog voltou a ser abandonado. Mas também foram ótimas. Feriado no Brasil + jogo do Fluminense + reunião de trabalho + passagens baratas = quantidade imensa de visitas! Sério, foram umas dez pessoas, todos devidamente carregadas de presentinhos, bombons e afins, uma delícia!

Fora isso, coisas inusitadas acontecendo aqui em Buenos Aires. Nosso amigo Túlio teve o apartamento revistado depois que uma maluca se recusou a aceitar que tocou na casa errada e chamou a polícia achando que ele tinha matado a dona do apartamento. Mas a história fica muito melhor contada por ele, http://aires-buenos.blogspot.com/.

Depois, um assalto aqui na minha rua. Os argentinos não confiam em banco, eles sacam todo o dinheiro do salário de uma vez só e guardam no colchão. Aí vieram todos juntos sacar todo o dinheiro de suas contas no 1o. dia do mês, no banco que fica aqui na rua. Ninguém no Brasil teria uma idéia dessas, mas como violência aqui é tacarem pedra no vidro do Café Havana, eles nem se preocuparam. Que pena, duas vezes! Por eles, que perderam o salário todo, e por Buenos Aires estar virando uma cidade com violência de verdade.

Aí precisei usar o meu banco e descobri porque os argentinos ainda não acreditam em banco... Cheguei pra fazer uma transferência pro Brasil, que demorou 3 dias. Pedi o comprovante. A gerente: comprovante? Achei que ela não tinha entendido meu espanhol, expliquei o que era. Ela se ofende: mas você não viu que eu fiz a transferência, pra que comprovante? Eu, ainda calma, expliquei que dizer que se fez uma transferência não prova que você fez, é preciso um papel. Aí a gênia manda: tira um extrato! Eu, me controlando, respondo que um extrato mostra que o dinheiro saiu da minha conta, mas não diz pra onde ele foi. Ela fica puta: isso aqui é Argentina, não é o Brasil nem a Europa, não existe esse comprovante. Claro... Mas como boa barraqueira fiz um escândalo, e no dia seguinte recebi um telefonema às 8h30 dizendo que o comprovante ficou pronto. Óbvio que quando o Alê foi lá pegar o banco estava fechado e foi preciso outro escadâlo pra conseguir...

Além das histórias, de saldo ficaram duas expressões novas:
- Contra enojado: raiva! Veio da gerente do banco descrevendo o Alê quando foi buscar o comprovante.
- pedazo de forro (não sei é assim que se escreve): xingamento! Ouvi do taxista maluco que fez o trajeto Puerto Madero-Belgrano em 10 min, xingando todo mundo que dirigia numa velocidade normal.

3 comentários:

Carol_Rainha disse...

eu realmente fico impressionada com essas coisas daí, sabia? é mto engraçado não existir comprovanteeeee. E entendo pq as pessoas não colocam dinheiro em banco.

(e estarei de volta em novembro, heeein - com regalinhos!)

Carol_Rainha disse...

e essa merda ainda entra como Carol_rainha, eu mereço...

Helena disse...

Um adendo: o RE CONTRA serve pra tudo..é um aumentativo em escala mil, sacou?
Ex: Che, pero esto esta re contra zarpado, papá!

E forro é camisinha..quer dizer, pura poesia.