Rastro

domingo, 16 de novembro de 2008

Aproveitando o tempo pra escrever um pouco...

As duas últimas semanas em Madri foram intensas. A virose do caga/vomita (nojento, mas é verdade) tomou conta da cidade e fez várias vítimas na faculdade. A gente dormia e acordava pensando em quem seria a nova vítima... Pros que se salvaram, sobrou trabalho pra repor a mão-de-obra avariada.

Mas deu pra passear um pouquinho. Fomos ao tão recomendado Mercado do Rastro. Dizem que é o maior mercado a céu aberto da Europa. Não sei se porque eu esperava muito, achei bem normalzinho. Tive a sensação de que era uma grande feirinha de Ipanema. Só que em euros... Também acho que fomos mal guiados, nesse caso. O mercado abre às 9h, mas a galera marca lá pelas 11h, pra tomar café vendo o movimento e depois começar o passeio. Fui com fome de café, mas cheguei lá e só tinha lugar pra beber. Sério, todos os bares lotados, a galera bebendo em pé nos balcões, comendo lula frita e jamón aquela hora da manhã. Não deu... E com fome não dava pra aproveitar o mercado que, aliás, é um ladeirão.

Fotinhos do local. Eu não gostei, mas conheço muita gente que ia adorar se perder por lá...



2 comentários:

Dani disse...

A feirinha de Ipanema já é cara, em euros então...

Que história é essa de caga/vomita, perdi alguma coisa?

Gisele Lopes disse...

Perdeu não. Teve ma virose aqui em Madri, que vários amigos meus da faculdade pegaram, e essas eram os principais sintomas. Era só ver um correndo pro banheiro que a gente já sabia qual seria o grupo desfalcado pelos próximos dias...horrível...