Fim de semana

segunda-feira, 16 de fevereiro de 2009

Esse fim de semana foi demais. Teve comida demais, bebida demais e foi divertido demais.

Sexta à tarde, no almoço, o Alê resolveu trair o kebab nosso de cada dia com o dürum. Para isso, fomos no especialista local, o turco. Todo mundo feliz, mas quando ele abre o rolinho do sanduíche tem cenoura. Coitado, ficou meia hora tirando as "inimigas"...

De noite fomos no mexicano. Depois do trauma ele resolveu ficar no mais seguro e escolheu umas tortilas de carne e feijões refritos. Veio com cenoura...

Sábado foi Dia dos Namorados, fomos jantar numa pizzaria moderninha aqui perto. Todos os sabores de pizza eram diferentões: metade levava atum, uma boa parte levava anchovas, algumas tinham frutas, como a de maçã com cogumelo e banana com roquefort, e havia várias outras combinações do gênero. Alê escolheu uma e chamou o garçom:
- eu quero a de bacon, tem cenoura?
- como?
- tem cenoura na pizza?
- cenoura na pizza de bacon? Não, senhor.
- tem certeza, nem no molho?
- senhor, acho que não...
- bom, então traz uma dessa. Mas avisa aí que não pode ter cenoura.
- ok senhor, pode deixar, uma pizza de bacon sem cenoura!

Garçom fofo, ganhou até gorjeta em euro por entender o trauma do marido...

Domingo fomos ao Rastro fazer o que todos os madrilenhos fazem neste dia: comer fritura e tomar cerveja. Duas horas da tarde, a gente ainda digerindo o café, e os bares já estão todos lotados de gente pedindo cañas e tapas. Mas foi o primeiro domingo de sol de muitos meses, o dia estava lindo e quase quente e esse costume de sair andando pelas ruas tomando cervejinhas e beliscando não pode ser considerado exatamente desagradável, né? Aí você junta tudo isso com papo furado com os amigos e a "movida" acaba terminando lá pelas 22h, com um pouco de cerveja demais na cabeça. Duro é acordar no dia seguinte sem saber seu nome e ter que ir trabalhar falando espanhol...

Notas:
o dürum também é um sanduíche árabe, no estilo do kebab, mas a diferença é que vem enroladinho num pão estilo sírio, tipo uma panqueca. O único aprovado até agora foi o turco.


Tapas novas pra incluir na coleção: chopitos. São pequenas lulas (já perdi as contas de quantas pequenas lulas eu conheci por aqui), assim como a sépia, mas ainda menores. A diferença é que a sépia eles preparam cortadinha (quase como os anéis), na chapa, e os chopitos são fritos inteiros, que nem camarão.

Um comentário:

Maíra disse...

Mais divertido só se a Regina aparecesse com mais algumas cenouras pro Alexandre!