Eu odeio banco (ou Quem mandou sair por aí abrindo contas?)

segunda-feira, 27 de outubro de 2008

Eu sempre tive medo de banco. As pessoas me sacaneavam, diziam que era ridículo, que banco era seguro, prático e etc., mas não adiantava, nem poupança eu tinha. Minha 1a. conta veio aos 21 anos, com meu 2o. emprego, porque no 1o. eu pedi pra receber em dinheiro...

Pois é, parece que eu estava prevendo...Depois de me estressar no Brasil e na Argentina, chegou a vez de conhecer o sistema bancário espanhol. A conversa descrita abaixo é real, acreditem:

- Oi, boa tarde, eu fiz compras na internet e a cobrança não veio. Eu queria pagar.
- Ah sim. A sra. seria tão amável de me dizer seu número de documento, nome da mãe, etc., etc?
Tudo confimado.
- Número da sua conta?
Digo os números do cartão, claro.
- Número D.C.?
Aí fudeu, porque eu não tenho idéia do que seja...
- É o número que a sra. encontra no livrinho que lhe foi entregue no dia em que abriu a conta. A sra. seria tão amável de voltar a chamar quando tenha esse número em mãos?

10 minutos depois, de posse do tal número, a conversa avança...

- Número D.C.?
Eu digo, orgulhosa.
- Número da conta?
Mas não é o mesmo? Não, não é, mas no santo livrinho tem tudo...
- Endereço da filial do banco onde a sra. abriu a conta?
Aí achei que era sacanagem...como é que eu vou saber? Onde é que eu acho isso? Lá vou eu buscar na internet, enquanto os minutos no telefone correm em euros...

Finalmente acaba. Aí vem essa:

Ah sim. Agora a sra. precisa de uma senha, eu vou lhe transfeir e depois a sra. volta a chamar ou vê pela internet...

De posse da senha, e depois de haver xingado muito, acesso a internet.

- coisa absurda 1: o teclado FOGE de você. Quando você digita um número o teclado foge pro outro lado da tela. E você vai atrás, clicando...

Aí ele te direciona pra coisa absurda número 2: digite os números XXX que estão no seu CONTRATO da conta.

Nessa eu desisti, ok, eles venceram, eu não quero pagar mais nada. Nem ver se eu já paguei. Porque telemarketing é igual no mundo todo, mas banco piora.

2 comentários:

Túlio disse...

escola portuguesa de pensamento!

Mariana Souza disse...

:
:
:
vejo banco atravesso pro outro lado da rua